quarta-feira, 1 de junho de 2011

Indicações para o uso da Acupuntura

A Acupuntura é uma terapia de ampla actuação, podendo melhorar ou curar inúmeras doenças. Se as doenças forem recentes, sem lesões físicas, existem mais hipóteses de serem curadas. Quanto às doenças mais graves e crónicas, a Acupuntura melhora os seus sintomas e a qualidade de vida dos pacientes. Por exemplo: artrite, bronquite, sequelas de derrame cerebral. Na verdade, a medicina convencional também só alivia e não cura nesses casos. 

A Acupuntura não trata doenças. Trata doentes que devem ser avaliados como um todo, diagnosticando-se a causa ou tipo de desequilíbrio que este apresenta, e não apenas as conseqüências do desequilíbrio ou seus sintomas. O lado preventivo da Acupuntura consiste na possibilidade de ir contra a doença antes que ela se manifeste em sua plenitude, isto é, no estágio onde sabemos que estamos quase ficando doentes, mas ainda não há sintomas concretos, na fase de mal estar que precede a doença. 

Em geral todo paciente é passível de tratamento pela Acupuntura desde que não haja um grau extremo de degeneração dos tecidos. E mesmo quando o paciente necessita associar outro tratamento alopático ou homeopático, ser submetido a uma cirurgia ou fazer tratamento sintomático para uma doença incurável, a Acupuntura reduz efeitos colaterais, potencializa o efeito de medicamentos, acelera a recuperação e pode mesmo até analgesiar um paciente, para uma cirurgia. Mas nunca se deve considerar a Acupuntura como uma panaceia, pois todo tipo de tratamento tem limitações. 

Alguns pacientes não podem ingerir remédios por razão de doenças de rim, fígado ou estômago. Nesses casos, a melhor solução é continuar fazendo Acupuntura, porque não há efeitos indesejáveis. A Acupuntura é considerada "primeira opção" também no período de gestação e amamentação, quando muitos desconfortos podem ser aliviados, tais como náusea, vómito, dor, ansiedade, síndrome pós-parto e outros. 

Um uso ainda bastante recente da Acupuntura, se levarmos em conta a sua idade milenar, tem sido como prática de anestesia. Este procedimento começou a ser utilizado em 1958, primeiro para aliviar dores pós-operatórias e como anestesia nas operações de amigdalectomias. Com o sucesso, esse processo de anestesia passou a ser utilizado na extracção de dentes, na tireoidectomia e na herniactomia. Um ano depois, pesquisadores chineses já se encontravam aptos a fazer intervenções cirúrgicas maiores usando esse tipo de anestesia, e hoje já a utilizam em intervenções cardíacas. 

As vantagens da anestesia através da Acupuntura são que o paciente não sofre os efeitos nocivos da anestesia química e se acha totalmente consciente durante a operação, podendo cooperar respondendo a perguntas do cirurgião e seguindo suas instruções. A prática clínica tem mostrado que o método é seguro. Mas a ela não causa apenas um efeito analgésico, ela provoca múltiplas respostas biológicas. Estudos em animais e humanos mostram que o estímulo por Acupuntura pode activar o hipotálamo e a glândula pituitária, resultando num amplo espectro de efeitos sistémicos, aumento na taxa de secreção de neurotransmissores e neurohormônios, melhora do fluxo sanguíneo, e também a estimulação da função imunológica são alguns dos efeitos já demonstrados. 

A Organização Mundial da Saúde lista mais de 40 doenças para as quais a Acupuntura é indicada. Para os chineses tradicionais existem cerca de 300 doenças tratáveis por Acupuntura, entre elas, sinusite, rinite, resfriado, faringite, amigdalite aguda, zumbido, dor no peito, palpitações, enfizema, bronquite crónica, asma brônquica, alterações menstruais, cólica menstrual, lombalgia durante a gravidez, ansiedade, depressão, insônia, mal-estar provocado pela quimioterapia, dores associadas com câncer, tendinites, fibromialgia, dores pós-cirúrgicas, síndrome complexa de dor regional, dermatites, gastrite, úlcera gástrica, úlcera duodenal, colites, diarréia, constipação, cefaleias, enxaqueca, paralisia facial, sequelas de acidente vascular cerebral, lombalgia, ciatalgia, artrose, artrite, entre tantas outras. 

Acupuntura promove um equilíbrio geral no organismo, pois nenhuma doença existe isoladamente, sempre está associada a algum desequilíbrio geral. Além do sintoma principal que trouxe o paciente ao consultório, haverá outros sintomas, mesmo de menor importância, que são reflexos do mesmo desequilíbrio, que quando tratado correctamente promoverá a cura do paciente como um todo.

ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL