sábado, 28 de maio de 2011

Conceito da Dor

Dor é uma qualidade sensorial complexa, puramente subjectiva, difícil de ser definida e frequentemente difícil de ser descrita ou interpretada. É, actualmente, definida, como resposta desagradável a estímulos associados com real ou potencial dano tecidual.
É extensivamente influenciada por ansiedade, depressão, expectativa e outras variáveis psicológicas. É uma experiência multifacetada, um entrelaçamento das características físicas dos estímulos com as funções motivacionais, afectivas e cognitivas do indivíduo.
Desempenha o papel de alerta, comunicando ao indivíduo que algo está errado. Gera acentuados stress e incapacidade. É sem sombra de dúvida, a maior causa de afastamento do trabalho, gerando um enorme ónus para a nação.
Dor é uma experiência sensorial e emocional desagradável, podendo ser consequente a um estímulo virtual ou potencial lesivo aplicado aos nociceptores (dor nociceptiva ou somática), à lesão do sistema nervoso (dor por injúria neural, neuropática), a fenómenos de natureza puramente psíquica (dor psicogenética) ou a uma associação desses mecanismos (dor mista). É, essencialmente, uma manifestação subjectiva, variando sua apreciação de indivíduo para indivíduo. Dependendo de sua duração, pode ser ela também classificada em aguda ou crónica.
Dor é a experiência sensorial e emocional desagradável, acompanhada de lesão tecidual. Durante toda a história do homem, a dor tem sido uma das suas maiores preocupações.
A dor é um sinal de alerta que ajuda a proteger o corpo de danos nos tecidos.
Sherrington (1947) definiu a dor como um adjunto psicológico a um reflexo protector, cuja finalidade é fazer com que o tecido afectado se afaste de estímulos potencialmente nocivos e lesivos.

ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL