sábado, 28 de maio de 2011

Dor na medicina Ocidental

Apesar do conhecimento sobre a fisiopatologia da dor, alguns estudos revelam que, em várias situações clínicas, o fenómeno doloroso não é adequadamente controlado, pois muitos dos componentes não nociceptivos do sofrimento não são enfocados e tratados. Outros problemas, ditos não clínicos, podem acontecer por conta de problemas e efeitos da dor prolongada, como desenlace familiar e desemprego temporário e definitivo. É frequente haver diagnóstico erróneo e descrédito pelos médicos, levando o tratamento inadequado e múltiplas cirurgias. Há grande queda na qualidade de vida e aumento nos custos com a saúde.

ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL